Petrobras reajusta os preços dos combustíveis

O aumento no diesel é de 14,2% e na gasolina de 5,2%

A Petrobras anunciou na manhã desta sexta-feira, 17, o reajuste nos preços da gasolina e do diesel. O aumento é na venda para as distribuidoras e vale a partir de sábado 18. O repasse do valor nas bombas vai depender das distribuidoras.

De acordo com o comunicado da estatal, a gasolina vai subir 5,2% — passando de R$ 3,86 para R$ 4,06. O diesel terá um aumento mais significativo (14,2%) — de R$ 4,91 para R$ 5,61.

É o primeiro aumento da gasolina em três meses. O último reajuste havia sido em 11 de março. Já o preço do diesel foi modificado em 10 de maio.

Em comunicado, a companhia informou que “é importante reforçar que a Petrobras é sensível ao momento em que o Brasil e o mundo estão enfrentando e compreende os reflexos que os preços dos combustíveis têm na vida dos cidadãos”.

“A companhia tem buscado o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse imediato para os preços internos da volatilidade das cotações internacionais e da taxa de câmbio. Esta prática não é comum a outros fornecedores que atuam no mercado brasileiro que ajustam seus preços com maior frequência, tampouco as maiores empresas internacionais que ajustam seus preços até diariamente”, informou a Petrobras.

‘A Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos’, diz Bolsonaro

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais para criticar um novo aumento no preço dos combustíveis.

“O governo federal como acionista é contra qualquer reajuste nos combustíveis, não só pelo exagerado lucro da Petrobras em plena crise mundial, bem como pelo interesse público previsto na lei das estatais”, publicou o presidente no Twitter.

Na quinta-feira 16, o Conselho de Administração da Petrobras aprovou, em reunião extraordinária, mais um aumento no preço do diesel e da gasolina.

A estatal tem praticado no mercado interno preços abaixo do vendido no mercado internacional. A defasagem do diesel é de 18%, segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom). O preço da gasolina, por sua vez, tem defasagem de 14%.

Na semana passada, a Petrobras divulgou uma nota em que defende a “prática de preços competitivos” para a “garantia do abastecimento doméstico”.

Segundo Bolsonaro, “a Petrobrás pode mergulhar o Brasil num caos”, escreveu. “Seus presidente, diretores e conselheiros bem sabem do que aconteceu com a greve dos caminhoneiros em 2018, e as consequências nefastas para a economia do Brasil e a vida do nosso povo.”

Arthur Lira pede a renuncia do presidente da Petrobras
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou logo depois do reajuste anunciado pela Petrobras que o presidente da estatal, José Mauro, tem que renunciar “imediatamente” ao cargo.

“Ele só representa a si mesmo e o que faz deixará um legado de destruição para a empresa, para o país e para o povo. Saia!!! Pois sua gestão é um ato de terrorismo corporativo”, escreveu no Twitter.

Por Revista Oeste

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *