PF deflagra operação contra servidores do INSS e presidente de sindicato no Piauí

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério da Economia (CGINT/SEPRT/ME), deflagrou, na manhã desta quinta-feira (20/05), a Operação DOLOS, com a finalidade de reprimir crimes previdenciários.

30 Policiais Federais cumprem cinco mandados de busca e apreensão, além de outras medidas cautelares restritivas em desfavor dos investigados e, Parnaíba/PI, Cocal/PI e Cocal dos Alves/PI.

Durante a investigação, foi identificado que os criminosos atuavam na concessão e recebimento irregular de aposentadorias, auxílios-doença e licença maternidade.

O grupo era formado por servidor do INSS, presidente de sindicato, intermediadores/captadores de pessoas e documentos, e agiotas. As fraudes eram processadas na Agência da Previdência Social de Parnaíba/PI, mediante falsificação de documentos emitidos pelo Sindicato de Trabalhadores Rurais de Cocal dos Alves/PI.

    Divulgação / PF

A estimativa de prejuízos, apenas no modal auxílio-maternidade, é de R$ 4 milhões, considerando dados do IBGE relativos aos anos de 2010 a 2019, período em que se verificou que foram concedidos duas vezes mais benefícios que o total de crianças nascidas na localidade.

Os envolvidos devem ser indiciados pelos crimes de falsificação de documentos (Art. 297 do CPB), estelionato (Art. 171 do CPB) e formação de quadrilha (Art. 288 do CPB).

O nome da operação faz alusão ao ser mitológico Dólos – espécie de espírito – que personificava o ardil, a fraude, a astúcia e as más ações, o que se identifica com a conduta dos investigados.

    Divulgação / PF
    Divulgação / PF
    Divulgação / PF
    Divulgação / PF

Por | 180graus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *