PI: membros de organização criminosa presos na Operação Caterva são denunciados

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO) e da Promotoria de Justiça de Manoel Emídio, ofereceu denúncia em face de membros de uma organização criminosa que atua na região sul do Estado, especificamente no eixo Canto do Buriti/Eliseu Martins.

A denúncia é resultado de investigação sobre tráfico de drogas, iniciada em agosto de 2020, que culminou na deflagração da Operação Caterva pela Polícia Civil do Estado do Piauí, com auxílio do MPPI. No final de abril deste ano, foram cumpridos mandados de prisões temporárias e preventivas e de busca e apreensão de objetos, principalmente nos municípios de Canto do Buriti, Eliseu Martins, Colônia do Gurgueia e Manoel Emídio, onde a prática criminosa era habitual, e em outras cidades da região sul do Estado.

A apuração indica a atuação de um núcleo da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na região. De acordo com o GAECO, trata-se de uma organização criminosa em que funciona um sistema de subdivisões especializadas no financiamento de atividades ilícitas, tráfico de drogas e comercialização de armas e munições. Ao todo, 21 pessoas foram denunciadas, pelos crimes de tráfico de drogas, organização criminosa, associação para o tráfico e porte ilegal de arma de fogo e munição.

Entre os denunciados, cinco estão foragidos: Alessandro Nogueira da Silva (conhecido como “Squich”), Rivanildo Moreno da Luz, Zaelton Moreno Batista (conhecido como “Caçambão”), Estevão Barbosa de Miranda Júnior (conhecido como “Júnior Playboy”) e Carlos Eduardo de Almada Santos.


Fonte: MP-PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *