Piauí recebe mais 56 mil doses para vacinar gestantes, pessoas com deficiência e comorbidades

O Piauí recebeu nesta quinta-feira (06/05) mais 56.300 doses da vacina Covishield, da parceria AstraZeneca/Oxford, para vacinar gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. A vacinação dos três grupos acontecerá simultaneamente. Elas são parte da 18ª pauta de distribuição do Governo Federal e pertencem ao lote enviado ao Brasil pelo consórcio Covax Facility.

As doses chegaram ao aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, às 15h40, no voo LA-3211. Logo em seguida, foram levadas para a Rede de Frio para separação. A expectativa é de encaminhá-las aos municípios nos próximos dias.

O Secretário de Saúde, Florentino Neto faz um apelo à população para que todos busquem conhecer o calendário de vacinação do seu município.
“Não vamos desperdiçar a oportunidade de sermos vacinados no nosso próprio município perto de nossa casa, no posto de vacinação e, desta forma a gente vai contribuindo para que as equipes de vacinação, o município e o Estado tenham o melhor resultado nesta campanha de vacinação. Seguindo orientação do governador Wellington Dias, o nosso objetivo é imunizar o povo do Piauí o mais rápido possível”, afirma.

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) do Ministério da Saúde, o estado conta com um quantitativo populacional de 402.402 pessoas que se enquadram nos grupos prioritários de gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. No total, o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 aponta que atualmente o estado possui um total de 1.068.337 pessoas que se enquadram dentro dos grupos prioritários para a vacinação no total.

Segundo o PNO, se encaixam como grupo prioritário as pessoas com as seguintes  comorbidades: diabetes, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial em estágio 1, 2 e 3 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonale, hipertensão pulmonar, cardiopatias, síndromes coronarianas, valvopatia, miocardiopatia, doenças da Aorta e arteriovenosas, arritmia cardíaca, cardiopatia congênita no adulto, próteses valvares, marcapasso, doença cerebrovascular, doença renal crônica, imunoglobinopatia grave, obesidade mórbida, síndrome de down e cirrose hepática.

O Plano traz ainda que, referente ao grupo das pessoas com comorbidades, deve ser priorizada a vacinação pessoas com síndrome de down a partir de 18 anos de idade, independente da faixa etária. As demais comorbidades seguirão a ordem de prioridades conforme as faixas etárias: – pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos; – pessoas com comorbidades de 50 a 54 anos; – pessoas com comorbidades de 45 a 49 anos; – pessoas com comorbidades de 40 a 44 anos; – pessoas com comorbidades de 30 a 39 anos; – pessoas com comorbidades de 18 a 29 anos.

Referente ao grupo de pessoas com deficiência permanente, o PNO aponta que se enquadram no grupo, a parcela da população que possui impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, a qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas como: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas; – indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir mesmo com uso de aparelho auditivo; – indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de enxergar mesmo com uso de óculos; – indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais, como trabalhar, ir à escola ou brincar.
A prioridade dentro da prioridade foi definida para as pessoas com Transtorno do Espectro Autismo (TEA) e pessoas com paralisia cerebral, ambas as imunizações devem ser feitas no público a partir de 18 anos de idade, independente da faixa etária.
Após a imunização dessa prioridade o grupo será continuado com base na faixa etária: pessoas com deficiência permanente de 55 a 59 anos; – pessoas com deficiência permanente de 50 a 54 anos; – pessoas com deficiência permanente de 45 a 49 anos; – pessoas com deficiência permanente de 40 a 44 anos; – pessoas com deficiência permanente de 30 a 39 anos; – pessoas com deficiência permanente de 18 a 29 anos.

Por fim, o PNO aponta que o grupo de gestantes e puérperas se define com “gestantes”, independentes de idade gestacional. Puerpério é o período compreendido entre o 1º e 45º dia após o parto. Primeiramente devem ser imunizadas as gestantes e puérperas com comorbidades, a partir de 18 anos de idade, independente da faixa etária. Em seguida deve ser dado o início a imunização de gestantes e puérperas em sua totalidade, independentemente de condições pré-existentes, a partir de 18 anos de idade.

De acordo com os dados do Vacinômetro da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) até este dia 06 de Maio de 2021 o estado já recebeu 957.380 doses de vacina contra a Covid-19 do Ministério da Saúde, das quais 950.985 doses já foram entregues para os municípios. Com as doses que chegaram hoje,  que ainda não foram incluídas no sistema, o Piauí ultrapassa hum milhão de doses recebidas.

A Sesapi mantém ainda uma reserva técnica de segurança para ser utilizada em caso de perda ou qualquer imprevisto em relação ao armazenamento e aplicação das doses, evitando que os piauienses não sejam lesados e fiquem sem o imunizante. Ainda de acordo com as informações do Vacinômetro, mais de 470 mil pessoas já tomaram  a 1° dose de vacina e mais de 234 mil já completaram o ciclo de vacinação e estão imunizadas.


Fonte: Governo do Piauí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *