Progressistas e MDB apoiam requerimento para adiar reforma da Previdência

A oposição conseguiu apoio de parte da base do governo para aprovar requerimento que pede a suspensão, por 90 dias, do desconto previdenciário dos servidores aposentados e pensionistas estaduais. A proposta que desagrada o governo foi aprovada com o apoio dos deputados do Progressistas e do MDB. Os dois principais aliados do governo na Assembleia Legislativa.

O pedido de adiamento foi apresentado pelos deputados Gustavo Neiva (PSB), líder da oposição, Teresa Britto (PV) e Marden Menezes (PSDB). Com a aprovação, a decisão caberá ao governo.

“Nesse momento é até desumano descontar do contracheque dos aposentados. O ideal é suspender a cobrança por 90 dias até passar a pandemia do coronavírus. Até que tudo possa voltar ao normal.  Se os próprios partidos da base apoiaram, é porque sabem da importância do adiamento”, disse o deputado Gustavo Neiva (PSB).

Durante a votação, os deputados do PT foram contra.  João de Deus (PT) disse que o governador não poderia suspender o desconto porque estaria descumprindo uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa. O deputado Franzé Silva (PT) pediu que a matéria fosse encaminhada para a Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação, o que não foi acatado pelo plenário.

No Progressistas, o deputado Júlio Arcoverde afirma que a decisão caberá à assessoria do governo. ”Os assessores jurídicos do governo é que vão dizer se é possível ou não acatar a decisão do plenário. Não é um projeto, mas um requerimento. Não é algo tão relevante porque é um requerimento. Não foi só o Progressistas, o MDB também”, disse.

No MDB, o deputado Joao Madison afirma que o momento é de crise. 

“Votamos todos os projetos do governo. Todos dos empréstimos foram votados. Então a maioria da base entendeu que a assessoria jurídica decide. O governo não é obrigado a aprovar. É um momento de crise. Se pode ou não seguir, o governo é quem diz”, afirmou. 

Fonte: Cidadeverde.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *