Protesto: Empresários cobram abertura do comércio de Teresina

Em frente à Prefeitura, motoristas de aplicativo, comerciantes e trabalhadores da construção civil questionam a demora para início do retorno das atividades.

Em meio a um decreto de distanciamento social, comerciantes, trabalhadores da construção civil, motoristas de aplicativo e pequenos empresários se reuniram na porta da Prefeitura de Teresina, no Centro, para protestar e reivindicar a abertura das atividades econômicas na capital. Desde o início de abril que o setor de serviços considerados não essenciais se encontra fechado a nível municipal e estadual por conta das medidas de contenção do avanço do novo coronavírus.

O protesto aconteceu na manhã desta quinta-feira (28). Com o apoio de carro de som, os manifestantes questionaram os decretos municipais que restringem o funcionamento do comércio e da circulação de pessoas e relataram as dificuldades pelas quais muitos profissionais liberais estão passando neste momento de crise sem poderem trabalhar.

“Por que comerciante não pode abrir, mas supermercado e farmácia podem? Tudo pode, só não vocês comerciantes. Olhem o tanto de emprego que vocês geram aqui em Teresina. O que você faz com nossa categoria e com os empresários que sustentam Teresina é humilhante”, disseram os manifestantes se dirigindo ao prefeito Firmino Filho.

O chefe do Executivo Municipal tem sido um dos maiores defensores do isolamento social e do arrocho nas medidas de cumprimento da quarentena na cidade. Teresina amanheceu esta quinta-feira com 1.982 casos confirmados de covid-19 e 69 óbitos decorrentes da doença. Ainda ontem (27) durante coletiva de imprensa, Firmino chegou a afirmar que “seria irresponsabilidade abrir a economia neste momento”, referindo-se aos apelos da classe empresarial para o retorno às atividades.

Hoje, durante o protesto na porta da Prefeitura, os micro e pequenos empresários, trabalhadores da construção civil, motoristas de aplicativo e profissionais do setor de beleza relataram os danos da crise em seu ganho e no sustento de suas famílias.

“Dois meses. Se depender do prefeito, nós já tínhamos passado fome. Os motoristas [de aplicativo] se juntam e fazem cesta básica pra levar pra família do colega. A gente quer ter condições de trabalho. Todos os estados vizinhos já estão voltando com a sua economia e aqui a gente continua parado. Até quando?”, questionaram.

Na última terça-feira (26), a proposta de reabertura do comércio foi discutida pela Câmara Municipal de Teresina junto com o Comitê Gestor de Medidas para Enfrentamento da Pandemia. Na reunião, os vereadores trataram sobre as regras para criação de um protocolo de reabertura gradual das atividades econômicas na cidade.

A Prefeitura já tem um cronograma e está estudando alguns critérios pra a retomada das atividades não-essenciais. O poder público está buscando ouvir representantes de 20 setores econômicos para garantir um protocolo que possa ser executado de forma segura. No entanto, como Teresina ainda se encontra na fase de crescimento exponencial dos casos de covid-19 que precedem o pico da pandemia, o prefeito da capital, Firmino Filho, destacou que para que as medidas de reabertura sejam postas em prática, é preciso primeiro garantir que a curva da doença de achate.

Fonte: Jornal O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *