Senador retira sua assinatura da CPI do MEC e fala em ‘palanque eleitoral’

Decisão de Oriovisto Guimarães desidrata requerimento da oposição para solicitar o início dos trabalhos do colegiado

O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) anunciou neste sábado, 9, que retirou a sua assinatura para a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito do Ministério da Educação (CPI do MEC). A oposição tenta abrir uma CPI para apurar suposto favorecimento de verbas para municípios a pedido de pastores.

“Continuo acreditando que existem fatos graves no MEC que precisam ser investigados”, escreveu Guimarães, no Twitter. “Porém, uma CPI tão próxima das eleições acabará em palanque eleitoral. É melhor que a investigação seja feita pela PF e pelo MPF. Assim, teremos uma investigação imparcial e técnica.”

Com a retirada da assinatura, o requerimento perde o apoio mínimo de 27 dos 81 senadores para ser protocolado. Além disso, lideranças governistas no Senado trabalham para que mais assinaturas sejam retiradas nos próximos dias. Dessa forma, barrando que a esquerda consiga desgastar o Poder Executivo.

A coleta de assinaturas está sendo liderada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Mesmo que volte a ter as assinaturas necessárias, a expectativa é que Randolfe protocole o pedido de abertura da CPI no fim do mês. Caberá ao presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), abrir ou não a CPI.

Senadora faz denúncia sobre assinaturas para a CPI do MEC

Na quinta-feira 7, a senadora Rose de Freitas (MDB-ES) disse que um requerimento, enviado em nome dela com o apoio à CPI do MEC, é uma “fraude”. A parlamentar garante que não autorizou o uso de sua assinatura.

 

Por Revista Oeste

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *