Teresina: Em assembleia, motoristas de ônibus rejeitam proposta do Setut e greve é mantida

Em assembleia na manhã desta segunda-feira (11), os motoristas e cobradores de ônibus rejeitaram a proposta dos empresários. Em greve há 22 dias, a categoria decidiu continuar com a paralisação. Pela proposta do Setut, o salário do motorista sairia de R$ 1.941 para R$ 2 mil.

“Não podemos ser tendenciosos, nem para parar a greve e nem continuar. Quem decidiu foram os trabalhadores. Eles optaram por continuarem o movimento grevista, mas eu deixei eles cientes de que não sabemos quais serão as consequências dessa greve”, disse Antônio Cardoso, presidente do Sintetro.

103 trabalhadores presentes votaram contra a proposta de reajuste salarial e 97 a favor do fim da greve.

Quanto as decisões judiciais que determinaram a circulação de 80% dos ônibus em horário de pico e 60% no entrepico durante a greve, o presidente do Sintetro afirma que a categoria não tem como cumprir, diante das propostas que estão sendo apresentadas.

“Eu queria pedir desculpas ao judiciário do Piaui por determinar que  gente volte a trabalhar, mas nessas condições não tem como. Estamos vivendo praticamente uma escravidão”, destacou Antônio Cardoso.

A categoria deverá se reunir em outro momento para preparar uma contraposta que será apresentada aos empresários com relação ao salário, percentual de salário, ticket e plano de saúde.

O presidente do Sintetro criticou durante a assembleia o vice-prefeito de Teresina, Robert Rios, que, segundo ele, tem dito que os trabalhadores dos coletivos andam de mãos dadas com os empresários para tirar dinheiro da Prefeitura de Teresina.

“Quando na realidade os empresários querem é tirar a mão de obra dos cobradores e pagar esse salário para a gente. Estamos lutando contra isso”, frisou Cardoso.

Em assembleia, motoristas de ônibus rejeitam proposta do Setut e greve é  mantida - Cidadeverde.com

“Esse não é um problema nosso, da nossa categoria. É um problema de gestão e dos empresários. Estamos todos os dias prontos para trabalhar, completou Cardoso.

Atualizada às 10h

Os motoristas e cobradores do transporte coletivo em Teresina estão reunidos na manhã desta segunda-feira (11) para decidir os rumos da greve dos ônibus. A reunião acontece na sede do Sindicato, Centro da cidade.

Os profissionais do transporte público analisam a proposta  apresentada pelos empresários que reajusta o salário dos  motoristas de R$ 1.941 para R$ 2 mil, o vencimento do cobrado de R$ 1.231 e dos ficais de R$ 1.325, além de conceder R$ 150 de tíquete alimentação e R$ 50 de auxílio saúde.

A assembleia iniciou fechada. Devido a grande quantidade de trabalhadores presentes, as portas precisaram ser abertas.

Um dos impasses entre empresários e trabalhadores é a proposta de cortar 30% dos cobradores e os motoristas assumirem a função dentro do ônibus.

Flash Nataniel Lima | Cidade Verde

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *