Teresina: Setut assina convenção trabalhista e motoristas de ônibus encerram greve que durou 23 dias

Atualizada às 13H30

Após quase duas horas de reuniões à portas fechadas, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setut) assinou a convenção trabalhista dos motoristas e cobradores de ônibus do sistema. Com o acordo, o movimento de grevista da categoria será encerrado e os veículos voltarão a circular na capital.

“Graças a Deus chegamos a um denominador comum, que era assinar e suspender a greve, que é bom para todo mundo, principalmente para a cidade”, disse o empresário Edimilson Carvalho, presidente do Setut.

Matéria original

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro) e do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setut) estão reunidos na manhã desta terça-feira (12) para assinar acordo coletivo de trabalho que coloca fim à greve dos motoristas e cobradores do transporte coletivo de Teresina, que já dura 23 dias. O encontro acontece a portas fechadas, no gabinete  da desembargadora Liana Chaib, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

A expectativa é que, imediatamente, após a assinatura a frota de ônibus volte a circular na totalidade na capital.

De acordo com o advogado do Sintetro, Francisco Marins Júnior, as principais demandas dos trabalhadores foram atendidas. “Não são os valores ideais, mas é um recomeço. Vamos recomeçar a reconstruir a volta dos benefícios”, disse o advogado.

Um dos pontos que estava impedindo o fechamento do acordo era uma cláusula que permitia que 20% dos ônibus pudessem rodar sem cobrador. No entanto, na nova rodada de negociações, o Sintetro conseguiu tirar essa cláusula da convenção coletiva e, com isso, os trabalhadores aceitaram a proposta do Setut.

“Eu acredito que nada possa atrapalhar [o fim da greve]. A convenção já foi revisada pelo jurídico do Sintetro e só está faltando mesmo a assinatura. Estamos aguardando o Setut para assinarmos e então por fim à greve”, frisou o advogado do Sintetro.

Reajuste salarial 

Após várias reuniões, o Sintetro aprovou o aumento do salário do motorista de R$ 1.941 para R$ 2 mil. Pelo acordo, o vencimento do cobrador será de R$ 1.231 e dos fiscais R$ 1.325. Já o plano de saúde ficou de R$ 60 e o vale refeição de R$ 170.

“Com assinatura da convenção, a categoria volta imediatamente e não vai mais ganhar R$ 300 ou R$ 800 por mês, mas um salário fixo. Não é o salário que queríamos, mas é um avanço”, disse Cardoso.

Flash Nataniel Lima /Cidade Verde

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *