Um Projeto de Lei é aprovado e outro enviado para comissões, durante sessão da Câmara de Patos/PI

O pleno da Câmara Municipal de Patos do Piauí, aprovou por unanimidade durante sessão ordinária do último sábado (8.maio) o Projeto de Lei nº 007 de 07 de maio de 2021 que o Poder Executivo de Patos do Piauí, implantar o “Programa Atividade Delegada” que utiliza de interesse recíproco os policiais militares em seus dias de folga em prol da ordem e segurança no município.

Outro Projeto de Lei nº 006 de 30 de abril, que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias para o Exercício Financeiro de 2021, foi apresentado em plenário e encaminhado para análise nas comissões.

Durante sua fala na tribuna da Casa, a vereadora Zuleide Costa (PP), começou cobrando, pedindo para que sejam revistas algumas questões: “A quadra poliesportiva lá do Bom Jardim está sem energia. Antes do ex-prefeito entregar a gestão foi enviado um oficio para a Equatorial para que eles viessem ligar a energia. Eu não sei o que aconteceu, eles não vieram até agora religar a energia. Os jovens estão cobrando muito porque querem jogar e não estão jogando a noite por falta de energia”, e continuou “parabenizar também  pela volta do Espaço Cidadão. Vi nas redes sociais que voltou a funcionar. Eu havia cobrado aqui, acho que na primeira sessão”, relembrou.

A vereadora fez cobranças: “Quero cobrar novamente a questão dos professores e de alguns funcionários da saúde que ainda estão sem receber. Há mais ou menos duas sessões atrás, questionei para que visse com senhor prefeito qual era o planejamento que ele tinha em relação ao pagamento desses funcionários e eu ainda não obtive a resposta, qual é o planejamento dele para pagar os professores e se vai pagar esse ano”, indagou.

Zuleide fez um relato: “Fui procurada também nesta semana por alguns comerciantes questionando se não tinha como fazer o teste de Covid neles, porque foi feito uma vez no ano passado e não fizeram mais, e esse ano não fizeram nenhum. A gente sabe que infelizmente os testes rápidos  são poucos, mas eles estão cobrando, querendo, pedindo para mim vir aqui e ver se não tinha como testá-los novamente” e exemplificou “quem trabalha em farmácia, que é um serviço essencial, que não fecha,  acaba tendo contato com muita gente”, e continuou “queria umas informações a respeito do teste swab, que disseram ter no município.

Sobre medicamentos a vereadora voltou a discorrer, como fez na sessão passada: “Com relação aos remédios que falei aqui, que estavam em falta. É claro que eu sei que a distribuidora falta medicamento. Mas a questão é faltar uma ou duas semanas e ter. Não não é igual esse medicamento que eu falei na sessão anterior, a  pessoa só pegou esse remédio em janeiro porque foi deixada pela gestão anterior. Passou fevereiro, março e até o começo do mês de abril, ou seja, quase três meses sem ter esse remédio na farmácia básica. Veio chegar, se eu não me engano, no final da semana passada porque eu entrei em contato com as meninas que trabalharam lá, e me disseram que tinha chegado”, relatou.

Sobre o coronavírus no município, a vereadora Zuleide discorreu: “Acompanhando ontem, se eu não me engano, está em 22 casos ativos. Estão subindo novamente. Quero aqui cobrar do gestor para que ele desempenhe mais e mais campanhas para que seja  de uma forma mais transparente,  porque hoje por exemplo,  ele cancelou a feira livre, só que o pessoal não deixa de vir não,  vem porque é dia de sábado e quer está aqui. Lá na lotérica acaba tumultuando e alguns pontos acaba tumultuando e a gente não ver essa fiscalização no sábado. Quero cobrar aqui, para que o prefeito fiscalize mais, coloque uma fiscalização intensa, porque se não o nosso município vai ficar com muitos casos, vai perder o controle se não houver essa fiscalização mais firme”, disse.

O vereador Chico de Oseias (PP), iniciou enaltecendo o pronunciamento da vereadora Zuelide: “Palavras muito bem colocadas, a questão que ela levantou do pagamento dos servidores, que não são só professores, mas servidores deste município. Que procure um jeito de agilizar, porque é ruim você trabalhar e não receber e ficar jogando a culpa para, um para outro. Que encontre uma forma de resolver esse problema”.

Chico continuou seu pronunciamento na tribuna: “Desde o começo dessa gestão que venho ouvindo e deixando passar, não só eu, mas todos os colegas, mas estou falando por minha pessoa. É uma coisa que acho bastante errada, ou seja, o slogan do grupo, e se eu tiver errado que me corrijam “A mudança que o povo quer”. Todo sessão todo dia é cobrado aqui. Pelo que vejo, na gestão passada tudo era errado, então se era para mudar deveria ter um plano de governo e da forma que estão fazendo não tem plano de governo, estão fazendo uma copia, copiando. E se a gestão passada foi toda errada, porque copiar, porque tudo que a gente fala aqui é porque dia tal, mês tal, ano tal, na gestão passada foi frito assim, não era para estarmos ouvindo isso aqui. Éramos para estar ouvindo coisas diferentes, porque se continuar da forma que está, não vai ter mudança”, alertou.

O vereador disse que temos que procurar esquecer aquilo que foi passado em qualquer das gestões, não importa qual foi: “Aquilo que não presta, vamos isolar, aquilo que foi bom, vamos copiar, penso dessa forma. É uma chatice tudo que a gente vem reivindicar aqui, não na gestão passada foi feito dessa forma e não foi feito dessa forma, infelizmente está um clima desagradável dentro dessa casa neste sentindo”.

O vereador relatou sobre uma reportagem com relação à Covid-19 no município; “Seria muito importante, muito bonito e bom se fosse daquela forma. O município de Patos já teve muitos casos, mas graças a Deus casos leves, mas nunca teve uma política de incentivo e agora está pior. Infelizmente aquela reportagem, até comentei com alguns colegas, até com colegas vereadores, que aquela reportagem iria atrapalhar, porque aquelas pessoas que estavam fazendo seu isolamento, ao ver aquela reportagem criou uma falsa sensação de que o vírus não estava mais circulando no município e abriram mão. Pessoas que saiam na rua de máscara, a maioria abandonaram, no Cajueiro, até cheguei a comentar com o vereador Wilson, era motivo de zombação as s pessoas que usassem mascaras. Fui vítima muitas vezes de chegar em um lugar e as pessoas ficarem me zuando ‘ainda usando isso ai’, quer dizer, criou uma falsa sensação e hoje, a situação está feia , lá no cajueiro está triste você andar, você só escutar falar: ‘fulano testou positivo.’ Você está ilhado no meio, e o pior, pessoas com o vírus, circulando nas ruas, entrando nos comércios”, relatou.

O vereador falou das cobranças feitas a atual gestão: “Em momento algum fizemos aqui cobranças indevidas, criando coisas. Simplesmente estamos cobrando aqui, o que é de direito do município. Ninguém está fazendo cobranças para nós, ou cobrança indevida. Não vou me meter em coisa que não faz sentido. Aquilo que é de direito, vamos estar cobrando. Questão de ameaças não era para a gente estar ouvindo isso nos dias de hoje. Não vamos parar, vamos continuar”, informou.

O vereador Antônio Rufino (PP) ao usar a tribuna, inicialmente falou sobre as perdas humanas no município: “Lamento a morte da professora Celina. Infelizmente perdemos duas professoras recentemente, as professoras mais velhas do município que fizeram parte da educação de Patos do Piauí: a professora Celina e a minha esposa. Infelizmente isso está acontecendo no município.

Tonhão deu continuidade ao seu pronunciamento: “Sobre as estradas, sempre tem problemas, vereador Wilson, as estradas da Maria Preta e também a estrada do Saco da Ema. Já falei com o prefeito sobre o aterramento, quero falar com vereador Cornélio para dar uma força  e resolvermos este problema”, propôs.

O vereador José Hélio o “Helim” (PP), começou elogiando sua companheira de bancada e correligionária: “Quero aqui enaltecer o discurso da minha colega vereadora Zuleide, muito brilhante. Pontos que ela colocou, coerentes. É assim que se faz, dessa forma e dos outros colegas que falaram depois dela”, e continuou “eu, como líder da oposição, não vou me furtar de deixar de falar o que eu acho. Lógico, que com devida responsabilidade e sem querer puxar ninguém para trás e dizer que é isso e acabou. Não são por aí as coisas. Eu peço ao colega Wilson que é a pessoa que me dirijo neste momento, que é o líder da situação, que reveja junto ao gestor a questão do pagamento dos professores e algumas outas pessoas que se envolvem nesse rol. Se ele tem algum planejamento? Quando pode ser feito? Que ele dê uma voz ou que reúna alguém, o sindicato, as pessoas que chagam nos procurando. Estou pedindo para o colega que leve essa reivindicação para o gestor, porque ele é gestor de quem votou e de quem não votou”, expressou.

Helim defendeu o entendimento: “Tudo no mundo se resolve com o dialogo. Você só vai para o extremo quando realmente não tem a eficácia da cobrança que é válida, que é de todos, aí você ás vezes vai para o extremo, mas acho que conversando se resolve tudo, sem truculência, sem apontar o dedo”.

O vereador disse que cobra, mas quando as coisas são resolvidas sabe reconhecer: “Quero agradecer, não por mim, pelas pessoas que estão recebendo. Eu vi hoje que estão sendo entregue a merenda escolar. Quero enaltecer, parabenizar a gestão por estar fazendo isso. Não foi o vereador Helim quem ganhou, foram as mães de família que tem os filhos na escolas que estão recebendo a merenda, neste momento difícil da pandemia”, relatou.

Helim fez outro agradecimento :”Quero agradecer aqui a gestão também pelo Espaço Cidadão que foi aberto. Um lugar onde muitas pessoas precisam para tirar seus documentos.”

O vereador lamentou a morte da professora Celina; “Inesperada. Essa covid vai ceifando as pessoas. Não podemos mais visitar as pessoas. Isso é cruel. Quando as pessoas morrem no hospital, só lacram no caixão e levam direto para o cemitério”, e discorreu “acho que teve um certo relaxamento. As pessoas acham que não vão pegar mesmo. Depois desse óbito no município, eu saio hoje nos pontos onde sei que tem movimento de pessoas, e peço vereador Wilson que fale para o gestor. Procurem a Vigilância Sanitária, Caixa Econômica, não são todas as farmácias, mas tem farmácias que estão ficando lotadas e não está tendo o distanciamento correto. Não vi por parte da gestão, mesmo depois desse óbito, fazer algo, fiscalizar. A feira livre disse que estava fechada hoje,  isso é só no papel, porque não está, e nós estamos em um momento terrível. A gente ve aqui na sede, pessoas que testam positivo e estão na rua, acho que tem que ser feito alguma coisa, fiscalizar, isso é crime. Como eu testo positivo e saio na rua?”, questionou.

Helim relatou publicações da redes sociais: “Pessoal ainda tem uma mentalidade falar algo que não condiz com os dias de hoje. Ninguém vive mais em ditadura. Nós temos que respeitar a opinião de todos. Fiquei assim pelo fato de que a pessoa disse que vai desmascarar, desmascarar a mim? O que foi que aconteceu? Eu não falei nenhuma inverdade aqui, o que aconteceu foram cobranças reais. Agora dizer que o gestor só faz se ele quiser! Não é assim não! Tem meios para isso. É obrigação do gestor atender as demandas do município, não importa  de quem seja a cobrança, cobramos com responsabilidade e queremos uma resposta. hoje está até mais fácil o Ministério Público tem um ferramenta de denúncias on-line, por isso que devemos ter cuidado principalmente nas redes sociais. Ela é boa, mas ela complica a vida”, alertou.

O vereador Wilson (PSD), líder do prefeito na Câmara, iniciou sua fala dizendo ser sabedor da importância das reivindicações dos colegas e discorreu: “Sobre a questão dos contratos que a colega vereadora falou aqui, acho que nenhum contrato é refeito com mesmo valor no ano seguinte, sempre tem reajuste, desconheço contratos que são celebrados assim, que não tenha reajuste. No sentido de fazer diferente sobre a questão dos professores, esqueci de repassar para os colegas vereadores, que o gestor já tinha se reunido com o representante da categoria, se reuniu com o sindicato e disse que vai planejar para pagar, mas não deu prazo. Essa reunião com o sindicato já tinha sido realizada, antes dos colegas falarem aqui”, e continuou “dizer aqui sobre a Vigilância Sanitária. As orientações são dadas, as pessoas que não estão cumprindo como deveriam, sei que é necessário um acompanhamento.”

Wilson falou sobre realizações da gestão: ”O Espaço Cidadão  foi reativado para atender bem a população oferecer os serviços. Sobre a merenda escolar, foram destruídas 900 kits para todos os alunos. A recuperação das máquinas: foi colocado pneu. O essencial não era nem os pneu, o problema era mais difícil. Já a caçamba recebeu quatro pneus novos e, essa questão das estradas serem recuperadas, não é questão de oposição e sim do compromisso Buscaremos fazer isso com certeza”.

O vereador falou sobre limpeza publica : “Nunca foi tirado tanto lixo, tanta terra, como nestes últimos dias nas ruas de Patos. Há dias que estão trabalhando, o trator e a caçamba e ainda não dão conta. Sobre a estrada do Cajueiro, recebemos essa semana um comunicado da empresa falando que a ordem de serviço foi liberada, no momento a empresa esta fazendo reparos em outra   PI, assim que terminar, virá fazer os reparos na PI que liga Patos a Cajueiro”, anunciou.

O vereador Francisco Evaristo o “Sarrika” (PSD) elogiu o prefeito Joaquim Neto pelo trabalho que vem fazendo: “As estradas estão melhorando. Começou na região do Morro da Onça, Lagoa das Pedras, tirando as areias que as estradas estavam muito precárias, estavam atolando carros. Graças a Deus o prefeito está fazendo sua parte”, reconheceu.

Sarrika falou sobre os poço tubulares: Três foram concluídos, mas um, infelizmente a máquina não conseguiu finalizar. Espero que consigam concluir”, e finalizou dizendo: “quero me solidarizar com os familiares da professora Celina, e quero também parabenizar todas mães do mundo. Amanhã é o Dia das Mães e quero parabenizar em especial, minha mãe e minha esposa”, concluiu.

O vereador Marlon (PSD) disse que não queria ser repetitivo: “O colega vereador Wilson já abordou todos os meus assuntos. Quero apenas parabenizar o Poder Executivo pela reabertura do Espaço Cidadão, que beneficia muito a população, pois não precisa se deslocar até a Picos nesse período de pandemia”, e continuou: “falando a respeito das estradas, foi dado o início e espero que sejam concluídas  o quanto antes.  Sabemos que tem muitos pontos críticos, mas volto a dizer que isso é decorrente de todos os anos, não é só agora nessa gestão que as coisas ficaram piores. É decorrente de um  bom inverno, vom chuvas grossas, retornando as areias para as estradas. Apesar da dificuldade desses maquinários, as coisas estão começando a fluir bem”, reconheceu.

Marlon falou solidariedade e a pandemia: “Quero aqui também falar a respeito da covid, me solidarizar com a famílias da professora Celina, uma vizinha nossa, aqui da Câmara, que veio a falecer. Quero ressaltar aqui,  um termo aqui que foi abordado,   sobre mais  fiscalização e conscientização do povo. Orientar e fiscalizar juntamente com a Secretaria de Saúde, a Vigilância Sanitária e a Polícia Militar.

O vereador voltou-se para o colega: “Como colega vereador Chico Oseias falou que a gente tem o plano de governo, mas infelizmente para por em prática, a gente precisa de recurso. Mas como vereador Wilson ressaltou, vai vir muita coisa boa. Até o final do ano é estarmos melhores em termos de obras de assistência à população. A gente tem demandas de pedidos para os nossos deputados, que são bem bem atuantes”, ressaltou.

O vereador Cornélio (PSD) foi sucinto e explicou: ” Estou participando de um curso do SENAR, Curso de Aprimoramento de Criação de Ovinos e Caprinos, são dois dias e pedi licença para sair. Como estou neste curso, deixarei o pronunciamento para a próxima sessão. Quero só parabenizar todas as mães pelo seu dia, amanhã e deixar aqui as minhas condolências e o meu voto de pesar para os filhos de dona Celina, que não terão o prazer de comemorar o dia das mães ao lado da sua mãe. Infelizmente o maldito vírus que circula por aí em Patos e no mundo inteiro, tirou a mãe dessas pessoas e deixar também o voto de pesar para os demais familiares”, finalizou.

A presidente da Câmara Municipal de Patos do Piauí, Taninha (PSD), iniciou seu pronunciamento, lamentando a morte da educadora do município: “Gostaria de deixar meus sentimentos a todos os familiares da professora Celina Reis, minha prima de segundo grau. É com muita tristeza que a gente lamenta essa perda, uma perda irreparável que infelizmente não é só em Patos, mas no Brasil e no mundo. Sabemos que a Covid esse ano está sendo bem diferente do ano passado, a pandemia simplesmente triplicou ou quadruplicou o número de óbitos, isso é visível, isso não é só em Patos”, observou.

A vereadora felicitou as mães pela data especial: “Gostaria desde já, deixar os meu parabéns para todas as mães em nome da minha mãe, a primeira primeira-dama do município, Teresinha Dias, eu cumprimento todas as mães patoenses e a mim também que sou mãe”.

Taninha discorreu sobre ações do gestor do município: “A merenda escolar, como já foi falado aqui, inculisve pelo vereador José Wilson, os kits já vieram prontos, a demora foi só na licitação, e já está sendo distribuída. A PI que liga patos ao Cajueiro está exatamente como você falou, vereador Wilson, falei até com Castro Neto através do Instagram, em breve começará o roço e a operação tapa-buracos. Em relação a energia da quadra do Bom Jardim, Wilson, você leva essa reivindicação para que tomem providencias, só que, questão de jogos está suspenso, pois temos um decreto que não é para haver jogos no município, infelizmente as pessoas não estão obedecendo como é para obedecer, sei que não é só em Patos, isso é em todos os lugares. Sabemos que o papel de conscientizar a população não é só do prefeito, nem só da Secretária de Saúde, de seguranças, é papel de todos, inclusive nosso. O vereador pode ir nas redes sociais, pode fazer uma matéria pedindo para as pessoas ficarem em casa, para sair somente quando for necessário. No caso de aglomeração de festas, jogos, banhos em pontos turísticos podem ser evitados. Podemos conscientizar para que não piore, esse é nosso desejo.

Em relação aos testes swab, o prefeito chegou a comprar algumas caixas, ele é um teste caríssimo e até o momento, nós estamos em maio e não veio um real para a prefeitura para que possa ajudar no combate a Covid com compras de materiais, testes e outras coisas relacionadas à Covid, e mesmo assim, ele andou comprando testes swab. Infelizmente no momento não está tendo, pois como eu havia dito, é um preço muito alto, mas acredito que mesmo assim ele irá comprar pelo menos um pouco para usar em casos específicos”, disse.

Taninha discorreu à cerca de uma matéria: “Quanto a reportagem do portal que citei, respeito a opinião de quem gosta do portal, mas eu não gosto, tenho meus motivos. Eu não citei em momento algum nome de vereador, o que me deixou indignada foi ver uma matéria na sexta, ou no sábado falando das estradas que estavam sendo recuperadas, no Portal Saiba Mais, e na Segunda-feira ter uma matéria do portal que eu citei, dizendo que após denúncias, o prefeito tomou providências em relação as estradas, e isso é mentira, porque está aqui na ata, o vereador Wilson falou, eu falei, transmitimos o recado ao prefeito Joaquim Neto que estava recuperando as máquinas para dar início, e não havia passado do tempo, até porque as chuvas cessaram agora, todos nós sabemos que ninguém que estar no interior com estradas ruins, isso é fato. Não persigo adversários e quando eu me referi que Joaquim Neto não precisava de cobranças para fazer, eu estava me referindo ao site, e continuo dizendo, eu repudio as palavras daquele site na pessoa dos eu proprietário. Se tem quem goste, não é da minha conta, como eu não gosto também e não é da conta de ninguém. Eu bem sei o que eu já passei com ele, quem sabe sou eu, e sei que ele só dar valor quando ele está contratado, quando ele está ganhando do município. Quando ele soube que seria eu a presidente, eu sei o que ele disse, sei a raiva que ele ficou, então eu tenho mil e um motivos para não gostar”, falou.

Sobre cobranças dos colegas, Taninha explicou: “Eu não falei aqui em momento nenhum que vereador não pode cobrar, até porque eu cobrei os quatro anos, e eu era muitas vezes bombardeada aqui dentro, por causa das minhas cobranças, e nunca fui atendida.  Então porque hoje eu só escuto aqui hoje coisas diferentes? Escuto dizer que não tem que comparar a administração passada com essa. Joaquim Neto entrou para fazer melhor mesmo, e é tanto que a cidade hoje, está totalmente diferente, totalmente limpa, e não foi preciso nenhum de nós aqui pedir para ele limpar, ele vai fazer, vai trabalhar porque está nos planos dele, ele sabe da necessidade do povo e da responsabilidade dele”, e relatou “Eu não vi, até pouco tempo, os vereadores que hoje são oposição, cobrando na gestão do ex-prefeito, o pagamento dos professores do mês de dezembro. Então quem foi que pegou o recurso do mês de dezembro? Joaquim Neto não está se recusando a pagar, ele já se reuniu em fevereiro com o sindicato dos servidores e falou que quando houver recursos, ele irá quitar, até porque os professores não devem ficar no prejuízo, ele também é professor e sabe. Deixo aqui as minhas palavras, com um pouco de revolta porque eu não falei em momento algum em nome de vereador”, finalizou.

Por | Portal Saiba Mais

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *