Viúva de pedreiro morto em abordagem da PRF em Picos clama por justiça

Maria Raimunda Lima afirma que seu marido foi morto de forma covarde e pede por justiça

A viúva do pedreiro morto durante abordagem da Polícia Rodoviária Federal em Picos clama por justiça. Maria Raimunda de Lima, de 49 anos, diz que seu marido, o pedreiro Joilson Pereira, 39, foi alvo de covardia e pede apuração rigorosa sobre o caso.

O pedreiro Joilson Pereira, de 39 anos, morreu após ser alvejado em uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Picos na noite da última terça-feira, 2. A família de Joilson acusa os policiais de terem sido truculentos ao efetuarem dois disparos contra o trabalhador, que estava desarmado e não parou durante a abordagem.

Segundo a família, Joilson estava de moto e vinha do município de Bocaina, onde estava trabalhando, quando foi abordado pela PRF e não parou o veículo. Na abordagem, Joilson foi atingido pelos disparos.

Velório

Joilson Pereira morreu por volta das 10 horas da manhã da quarta-feira (3.jun) ontem, 3 de junho, no Hospital Regional Justino Luz, e seu corpo foi transladado para Floriano para ser submetido a pericia, onde, segundo a viúva, foi constatado que ele morreu em decorrência de dois tiros de arma de fogo.

O velório do pedreiro aconteceu em sua residência, localizada na rua Paraíba, número 51, bairro Paroquial, e o sepultamento às 16 horas de hoje no Cemitério Jardim da Eternidade, bairro Parque de Exposição, em Picos, sob forte comoção.

A viúva de Joilson, Maria Raimunda Lima, 49 anos, relata ter acompanhado os últimos momentos do marido. Segundo ela, o pedreiro teria dito no hospital que foi uma “covardia dos policiais”.

“Ele me disse assim: ‘Raimunda, fizeram isso na covardia. Foram dois tiros’. Não justifica eles atirarem a queima roupa só porque ele não parou”, disse a viúva.

Após ser baleado, Joilson foi levado para o Hospital Justino Luz e na manhã desta quarta-feira, 3, não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Sem trabalhar por motivos de saúde, Maria Raimunda, conta que está muito abalada e pede que seja feita justiça. “Eu tô muito magoada, era só nós dois. Eles tiraram a vida dele e a minha. Não era pra eles terem atirado nele. Era pra eles terem prendido ele, tomado a moto dele. Se eles levassem a moto, ele com certeza comprava outra moto. Eles têm que pagar pelo que eles fizeram”.

Em nota, a PRF informou que “lamenta o desfecho da ocorrência policial  e que vai apurar os procedimentos adotados pelos agentes na abordagem. ocorrência foi encaminhada para a Polícia Federal, em Teresina.

Nota da PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) lamenta o desfecho da ocorrência policial registrada na noite desta terça-feira (02), na BR-316, em Picos/PI, que resultou no óbito do condutor da motocicleta envolvida na ação.

A Polícia Rodoviária Federal informa que as circunstâncias e  procedimentos adotados na ação policial serão apuradas pelo órgão e reafirma seu zelo na proteção da vida de toda sociedade, nela incluída seus agentes. A ocorrência foi encaminhada para a Polícia Federal, em Teresina/PI.

Fonte: Valmir Macedo/Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *