Acordo prevê que PMs da reserva substituam militares da ativa em prédios públicos

A Secretaria Estadual de Administração fechou parceria com a Polícia Militar para que militares da reserva voltem ao trabalho para atuar em prédios públicos do governo, substituindo militares da ativa. Inicialmente, 18 PMs aposentados devem reforçar a segurança patrimonial do estado. 

“O critério principal, inicialmente, é a idade. São policiais que se aposentaram há pouco tempo e têm entre 54 e 55 anos de idade. São policiais jovens e em condições físicas e psicológicas de retornar”, disse o coronel Lindomar Castilho, comandante geral da Polícia Militar do Piauí.

Ele conta que os policiais militares serão apresentados à uma junta médica para avaliações física e psicológica. 

“Será dado um atestado para ver se ele está ou não em condições de retornar para o serviço da ativa. Reunindo todas as questões física e psicológica, bem como outros critérios com relação à Justiça, o PM – que tem que ser voluntário- assina um requerimento para retornar e a partir daí iniciamos um processo que será remetido ao governo que convoca através de um decreto”, explica o coronel. 

O comandante explica que os PMs ficarão responsável pela guarda patrimonial de prédios públicos, liberando assim militares que estão na ativa para o policiamento ostensivo. 

“O policial que aceita voltar, receberá uma gratificação de retorno, dependendo do nível hierárquico. Um soldado, por exemplo, começa com R$ 1.800 fora auxílio-alimentação, auxílio noturno e vai evoluindo dependendo da graduação”, reitera Castilho. 

Atualmente, 800 militares no Piauí estão lotados em órgãos dos poderes executivo, legislativo e judiciário. 

“A maior parte está disponível para a secretaria de Justiça, nos presídios, mas temos também TJ, Assembleia Legislativa, Palácio de Karnak. A nossa ideia é substituirmos paulatinamente esses policiais para chegar em torno de 500, apresentando o pessoal da reserva nesses órgãos e retornando essa parte toda ativa para a parte ostensiva, o patrulhamento das ruas”, disse o comandante-geral da PM-PI.

 

Fonte: Cidadeverde

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *