Auxílio emergencial evitou maior colapso na economia dos municípios, diz APPM

O presidente da Associação Piauiense dos Municípios, prefeito Jonas Moura, afirmou que o auxílio emergencial pelo Governo Federal evitou um colapso pior na economia dos municípios. “Sem dúvida, esse auxílio tem sido fundamental para a economia no interior do estado no Piauí, que tem girando entorno dessa ajuda”.

Moura acredita que a ampliação do auxílio em mais duas parcelas ampliará ainda mais a movimendação local da economia. “Com essa parada que houve na economia, com as vagas de emprego perdidas, vai dificultar muito mais. Esse auxílio tem sido de grande importância. Posso dizer: hoje no interior as dificuldades foram diminuídas por conta dessa ajuda financeira que o Governo Federal vem dando a todos os brasileiros”.

O presidente da APPM disse ainda que o socorro aos municípios pelo Governo Federal também contribuiu movimentar a economia já que o comércio e demais atividades ficaram fechados devido a pandemia da Covid-19. A última parcela desse socorro aos estados e municípios deve ser repassado em julho.

 “Essa é a nossa grande preocupação no momento. o Governo tem nos ajudado com o FPN, mesmo sem ter a arrecadação própria dos municípios. A última parcela está prevista para julho, e nós não sabemos como vai ficar no segundo semestre. Esperamos que essa retomada da economia e a sensibilidade ainda maior do governo federal, nesse sentindo, gere maior estabilidade”.

Avanço da doença no interior

O avanço do novo coronavírus nas cidades do interior do Piauí preocupa as autoridades municipais. O prefeito ressalta que o aumento de pessoas positivas também decorre  da maior realização de testes por meio do programa estadual Busca Ativa.

Jonas Moura  destaca que a APPM representa os municípios, mas sempre com respeito a autonomia de cada município. “A nossa orientação tem sido no sentido de seguir o decreto do governador (Wellington Dias), que nós chamamos de esforço concentrado, que foi feito na semana passada e será feito neste final de semana, para que a gente possa ter uma retomada da economia o mais breve possível”.

“Nós estamos confiante que a grande maioria dos municípios vão seguir esse decreto, principalmente no sábado e no domingo. Vamos seguir essa recomendação para que a gente possa avaliar isso na segunda-feira e ter uma retomada tranquila e controlada”.

A APPM também tem acompanhado os municípios que já flexibilizaram o retorno de algumas atividades econômicas, sobre isso, o presidente da entidade diz que esses “municípios tomaram a decisão em virtude de dados e pesquisas, que também não avançaram mais”.

“Eu acredito que todos estão entendendo. Alguns tiveram que retroagir um pouco, como é o caso de Campo Maior e União; entenderam que ainda não era o momento. Agora, com esse esforço concentrado,nós teremos condições de avaliar melhor e fazer uma retomada progressiva sem ter que estar retornando. O ideal é fazer (a retomada) semanalmente em cada área, com cada segmento, para que a gente possa dar o ‘ponta-pé definitivo’ porque já estamos há 100 dias (com comércio fechado). Todos sofrendo”.

Melhoria da estrutura 

“Desde o início, a Associação vem cobrando por regiões a melhoria da retaguarda e de suporte dos municípios. Tivemos avanços, o governo se esforçou bastante para melhorar a rede de atendimento na região de Bom Jesus, São Raimundo Nonato, a região da Chapada da Mangabeira”.

“No Médio Parnaíba, aqui em Água Branca, nós conseguimos colocar respiradores, que nós não tínhamos; Demerval Lobão também está com uma estrutura melhor. Então, assim, Piripiri e toda região nós avançamos na questão de mais leitos, mas ainda longe da necessidade. Em muitos casos precisamos pedir socorro, e Teresina que tem prestado esse socorro e atendendo a grande maioria dos municípios”.

Carlienne Carpaso/Cidadeverde

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *