Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa começa no dia 1º de junho

Mesmo diante da pandemia da Covid-19, a Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa não pode parar e a primeira etapa 2020 vai ocorrer nos meses de junho e julho, quando devem ser vacinados todos os bovinos e bubalinos do estado, independentemente da faixa etária.

A certificação está marcada para o período de 1º de junho a 15 de julho e, por conta da pandemia, nesta etapa, os produtores poderão realizar a certificação de três formas: por meio de uma declaração on-line no Sigadapi; envio de todos os dados preenchidos (fotos ou escaneador) por e-mail ou pelo celular ou presencial nos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi).

A Adapi elaborou uma cartilha destinada aos produtores sobre os cuidados que devem tomar para evitar a proliferação da Covid-19, como lavar as mãos frequentemente com água e sabão, uso de máscara, evitar tocar no rosto, especialmente olhos, nariz e boca; cobrir o nariz e boca ao espirrar ou tossir e fazer o distanciamento de 2 metros entre as pessoas.

Com relação à vacina, a Adapi orienta que a compra se dê, preferencialmente por internet e receber em casa (sistema delivery) ou encomendar com antecedência e combinar o recebimento. Para receber, somente uma pessoa por família deve ir diretamente à revenda, tomando o cuidado de tocar apenas no produto que vai levar.

A cartilha orienta ao produtor que, ao chegar em casa com a vacina, ele deve lavar as mãos e limpar a vacina com álcool ou água sanitária antes de guardar na geladeira e no dia da vacina, evitar aglomeração.

Com relação ao ato da vacinação, a Adapi esclarece que o produtor deve dar preferência para que o uso das pistolas e outros equipamentos de vacinação sejam individuais por trabalhador e haja o menor contato possível entre pessoas.

Além disso, deve evitar estressar o animal, manter a vacina em isopor com gelo, fazer a troca, desinfecção (fervura) de agulhas a cada 10 minutos e aplicar a vacina na tábua do pescoço, subcutâneo (debaixo da pele).

Fonte: CCOM PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *