Com recordes de infecções, Holanda volta a lockdown parcial

Lojas de produtos não essenciais e até mesmo supermercados vão fechar mais cedo, e medidas de distanciamento social serão impostas novamente.

A Holanda voltou a implementar um lockdown parcial neste sábado (13). O governo deu ordem para que os restaurantes e lojas fechem cedo e também proibiu que eventos esportivos ocorram com público.

O país vive uma onda de contágios por coronavírus.

O primeiro-ministro Mark Rutte afirmou que as as restrições devem durar três semanas.

Lojas de produtos não essenciais e até mesmo supermercados vão fechar mais cedo, e medidas de distanciamento social serão impostas novamente.

O governo recomendou que as pessoas não recebam mais de quatro visitas.

Os cafés e as boates precisam fechar às 20h.

Mark Rutte fez um pronunciamento na TV e afirmou que o vírus está em todos os locais e precisa ser combatido.

“Nesta noite, nós trazemos uma mensagem muito desagradável com medidas muito desagradáveis e amplas”, disse ele.

Um grupo de cerca de 100 pessoas fez um protesto.

Ainda estuda-se uma forma de restringir o acesso de pessoas não vacinadas locais fechados. Esse é um tema politicamente delicado, que iria precisar de uma votação parlamentar.

Infecções recordes

Há uma retomada das infecções por Covid-19 na Holanda, e os hospitais estão mais cheios.

As novas infecções chegaram a cerca de 16 mil pelo segundo dia consecutivo na sexta-feira.

O recorde de novos casos havia acontecido em dezembro do ano passado, e era de 13 mil incidências.

Rutte pediu para que as pessoas trabalhem de casa sempre que possível.

Escolas, teatros e cinemas vão continuar abertos.

Mudança de política

As decisões do governo marcam uma mudança na política do país para a Covid-19.

Até o mês passado, a expectativa era a de que a alta taxa de vacinação permitiria um relaxamento de medidas restritivas até o fim do ano.

Cerca de 85% da população adulta da Holanda já foi completamente vacinada.

Desde o começo da pandemia, a Holanda teve 2,3 milhões de casos de Covid-19 e 18,7 mil mortes.

 

Por Meio Norte

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *