Fila de espera por leitos em Teresina tem redução após restrições

O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, falou na manhã desta segunda-feira (05), sobre o atual cenário da fila de espera de pacientes com Covid-19 por vagas em leitos na rede de saúde de Teresina.

Em entrevista ao Meionorte.com, Gilberto Albuquerque explicou que os últimos dias de isolamento social, devido a parada sanitária, influenciaram para uma redução na demanda em Teresina. A fila de espera atual é de aproximadamente 66 pacientes para vagas em UTI e 10 pacientes na fila para leitos clínicos. O número anterior ultrapassou os 200 pacientes, segundo o presidente da FMS.

Gilberto Albuquerque, presidente da FMS (Foto: Raíssa Morais/ Portal Meio Norte)
Gilberto Albuquerque, presidente da FMS (Foto: Raíssa Morais/ Portal Meio Norte)

“Deu uma acalmada. Passamos uns oito, dez dias em um distanciamento social maior. A necessidade por leito clínico é imediata, mas a resposta para redução de leito de UTI demora um pouco mais, mas a gente já pode perceber que ocorreu essa redução”, disse. Já no âmbito Estadual, 137 pessoas esperam por um leito, dentre clínico e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os dados divulgados pela Universidade Federal do Piauí (Ufpi) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta segunda-feira (5), que mostram que o momento ainda é de alerta.

Gilberto Albuquerque deu detalhes ainda sobre o andamento das negociações com a empresa Saúde e Vida, que será responsável pela instalação de duas usinas de oxigênio em Teresina. “Estamos já na fase final de conclusão dos dois processos de fábricas de oxigênio. Estamos concluindo a negociação. Teresina deverá receber muito em breve, duas usinas de oxigênio. Isso dará uma segurança maior para o teresinense”, finaliza.

Com informações da repórter Solange Sousa, da Rede Meio Norte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *