Firmino diz que só o isolamento social pode “reduzir o dano desta catástrofe”

O prefeito Firmino Filho (PSDB) gravou um pronunciamento para as redes sociais, destacando a importância das medidas adotadas em Teresina para tentar barrar o avanço dos casos de coronavírus. Até a noite desta terça-feira (24), a capital tinha 8 casos confirmados da doença.

“Por onde a doença passou, deixou um rastro de desespero e morte. Mesmo em países de primeiro mundo, como a Itália, o colapso do sistema de saúde tem provocado quase mil mortes todos os dias. Isso é difícil de imaginar. Essa realidade já chegou ao Brasil. O Sudeste já contabiliza mortes diárias e crescentes. São Paulo, a cidade mais rica do país, já começa a se preparar para uma guerra. O número de mortes vai aumentar consideravelmente nos próximos dias”, explica o gestor.

E diante das projeções, Firmino ressalta a obrigação de cada um em fazer o máximo possível para “reduzir o dano desta catástrofe”, considerando que muitas pessoas serão infectadas pelo Covid-19.

“A grande maioria apresentará sintomas semelhantes a uma gripe, um resfriado. É verdade. Então, você deve se perguntar. Se a maioria das pessoas vai ter sintomas leves, por que fazer isolamento social e fechar tudo? Porque é a única coisa que podemos fazer para impedir centenas de mortes em Teresina e mulheres no Piauí”, justifica.

Sem vacina ou medicação com eficácia comprovada contra a doença, e com a possibilidade de pacientes com necessidade de tratamento em unidades de terapia intensiva, o prefeito alerta para o risco de o sistema de saúde não suportar o grande número de pessoas precisando de atendimento, comprometendo mesmo os casos de média complexidade.

“Em condições assim, os hospitais entram em colapso total. Isso significa que não importa a situação crítica do paciente, se ele tem plano de saúde ou dinheiro. Os hospitais não terão condições de atender e muita gente vai morrer”, alerta Firmino.

Por isso o esforço de líderes pelo mundo todo para reduzir a curva de contágio da doença.

E atenta para o fato de que o sistema de saúde continua tendo de atender pacientes com outras doenças, vitimados por acidentes e demais urgências. “Não se trata apenas de infectados por coronavírus, temos que lembrar que com hospitais locais não conseguiremos atender às vítimas de acidentes, derrames e outros problemas de saúde comuns no nosso dia a dia”, segue.

Ao final, o prefeito faz um apelo para que as pessoas que não fazem parte da rede de serviços essenciais permaneçam em casa e que denuncie estabelecimentos que estão abertos, mesmo sob determinação do decreto municipal para seu fechamento.

“Nós gestores precisamos de coragem para tomar decisões duras e necessárias. E precisamos também do apoio da população para preservação da vida. O isolamento social é a nossa única saída. As pessoas precisam ficar em casa, não tem outra solução. Se isso não acontecer precisamos nos reparar para enterra nossos pais, irmãos, amigos e até nossos filhos”, pontua.

 

Fonte: 180graus
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *