Homem é morto após avançar com carro contra policiais do Congresso dos EUA

Um motorista avançou nesta sexta-feira (2) com um carro sobre uma barreira de segurança do Congresso dos EUA, que foi colocado em lockdown como medida de segurança. Dois policiais do Capitólio que vigiavam a entrada foram atropelados pelo sedan azul escuro, que bateu em seguida em um bloqueio.

Após a colisão, o motorista saiu do veículo com uma faca na mão e tentou correr em direção aos guardas, que atiraram contra ele. O autor do ataque foi socorrido, mas morreu pouco depois.

A motivação para o ataque está sendo investigada, segundo a polícia, e o suspeito é um homem de 25 anos chamado Noah Green. Os agentes atropelados foram levados ao hospital, mas um deles não resistiu aos ferimentos. A vítima, William ‘Billy’ Evans, trabalhava há 18 anos na polícia do Capitólio e é o quarto agente do Congresso a morrer este ano.

O primeiro morreu em 6 de janeiro, na invasão do Capitólio por apoiadores do ex-presidente Donald Trump, enquanto os outros dois cometeram suicídio depois de atuarem na defesa do Congresso naquele dia.

O presidente americano, Joe Biden, afirmou estar com o coração partido pela morte do policial. Em nota, Biden disse que os tempos vividos pelo Capitólio americano “têm sido difíceis” e que ele e sua mulher, a primeira-dama Jill, ficaram devastados ao saber do ataque desta sexta.

“Enviamos nossas sinceras condolências à família do policial Evans e a todos que lamentam sua perda”, escreveu o presidente. “Quero expressar a gratidão do país à Polícia do Capitólio, à Força de Resposta Imediata da Guarda Nacional e a outros que responderam rapidamente a este ataque.”

Biden disse que está monitorando a situação, via informações do Departamento de Segurança Interna, e ordenou que as bandeiras na Casa Branca fiquem a meio-mastro em sinal de respeito aos acontecimentos desta sexta. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, chamou Evans de “mártir por nossa democracia” e também ordenou bandeiras a meio-mastro no Congresso.

Devido ao incidente, os acessos ao Capitólio e às avenidas próximas foram fechados. Funcionários que estavam no prédio foram orientados a não sair, e há grande presença de policiais, helicópteros e militares na região, além de curiosos, que foram orientados a se afastar.

O Congresso está em recesso devido ao feriado de Páscoa. Por isso, a maioria dos parlamentares não estava em seus gabinetes. Biden não estava nem em Washington no momento do ataque. Ele havia viajado, horas antes, para a casa de campo presidencial em Camp David.

Antes do caso desta sexta o Capitólio já havia sido palco de outro episódio de violência neste ano. A sede do Legislativo dos EUA foi invadida em janeiro por uma turba de apoiadores de Trump que buscavam reverter à força a derrota do candidato republicano nas urnas.

Cinco pessoas morreram naquela ocasião. Depois daquele dia, o Congresso americano passou a ser protegido por mais barreiras externas, que começaram a ser retiradas na semana passada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *