Parada LGBT+ na Itália exibe Virgem Maria estilizada e com seios à mostra

Autoridades se pronunciaram

A parada LGBT+ na Itália gerou polêmica depois de exibir um manequim com seios descobertos em alusão da Virgem Maria. O ato ocorreu no sábado 4, na cidade de Cremona. Autoridades e a Igreja Católica se pronunciaram.

“Isso fere as pessoas que se empenham com respeito recíproco em nome de uma sociedade sem discriminações”, afirmou o bispo de Cremona, Antonio Napoli, no domingo 5, em entrevista à imprensa local.

De acordo com Matteo Salvini, senador e ex-primeiro-ministro do país, o ato foi uma ofensa à fé, cultura e à sensibilidade dos italianos. “Não tem nada a ver com a demanda por direitos LGBT+”, disse.

O prefeito da cidade, Gianluca Galimberti, classificou o ato de desrespeitoso. “Não apenas para quem acredita na Virgem Maria, mas também a quem participou da marcha manifestando as próprias ideias com respeito”, disse, ao mencionar que o evento foi custeado com o dinheiro dos pagadores de impostos.

União civil na Itália

A união civil entre pessoas do mesmo sexo foi legalizada na Itália em 2016. Contudo, o país ainda não permite que casais homoafetivos adotem crianças ou realizem tratamentos de fertilização assistida. A questão chegou a ser discutida em 2016, mas foi barrada por partidos conservadores.

Em junho do ano passado, o Vaticano enviou uma carta à embaixada italiana questionando um projeto de lei que criminalizava a homofobia e transfobia. O projeto foi engavetado pelo Parlamento no mesmo ano.

Causa gay sai prejudicada

Artigo publicado na Edição 92 da Revista Oeste discorre sobre como os ataques do movimento LGBT+ ao cristianismo prejudicam a causa gay. Francisco Borba, professor universitário e coordenador de projetos do Núcleo Fé e Cultura da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, diz que a melhor estratégia é a busca do diálogo. “Tanto os cristãos do lado ofendido quanto os LGBTs que se sentem discriminados têm de procurar estabelecer pontes”, defendeu. “Dessa forma, poderão mostrar, de maneira clara, o que é respeitoso para os dois lados”, disse. “Trata-se de uma conduta ética.”

 

Por Revista Oeste

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *