Revanche contra o Bayern na Champions já move o PSG

Com as quartas de final da Liga dos Campeões cada vez mais próximas, Paris já mira duelo contra seu último algoz na competição

Redação Goal

O PSG terá uma missão difícil nas quartas de final da Liga dos Campeões: encarar o Bayern de Munique, atual campeão da competição. Porém, essa também é uma oportunidade de revanche para Neymar, Mbappé e cia., que levaram o Paris para a primeira final de Champions League de sua história na temporada passada, e caíram justamente diante dos alemães, algo que pode motivar ainda mais a equipe.

Julian Draxler, que vem ganhando mais oportunidades com Mauricio Pochettino, já está de olho no tão esperado duelo contra o Bayern na Champions, que terá sua primeira partida no dia 7 de abril. Para o meia de 27 anos, o confronto será mais uma vez muito equilibrado, mas ele também acredita que o Paris tenha totais condições de derrotar o clube bávaro.

A final da Liga dos Campeões entre os dois clubes realmente foi bastante equilibrada e os detalhes fizeram diferença, algo que se espera em um duelo deste porte. Na ocasião, o Bayern vinha extremamente embalado, em todas as competições, e praticamente não dava chance a seus rivais.

É claro que o time bávaro continua como um dos melhores do planeta, mas já demonstra alguns sinais de oscilação, algo que não foi visto na reta final da temporada passada. Além disso, Lewandowski, atual melhor do mundo, se lesionou com a seleção da Polônia e está descartado para os dois jogos contra o Paris.

Do outro lado, o PSG chega com moral após passar fácil pelo Barcelona de Lionel Messi nas oitavas de final, e ainda por cima sem Neymar – que estava lesionado -, algo que ainda não havia acontecido desde a contratação do brasileiro.

“O Barcelona é uma grande equipe. Vencemos por 4 a 1 em casa, onde fizemos um jogo impressionante. Eliminar um time como esse nos dá confiança”, destacou Draxler. “Sinto que estamos prontos para a final. Ainda há muitos jogos pela frente. Vamos jogar para ganhar todos os troféus e estar física e mentalmente preparados a cada jogo”.

E um dos segredos para o PSG ter garantido a classificação sem Neymar foi justamente o papel que os coadjuvantes vem desempenhando com Pochettino. Draxler, por exemplo, marcou quatro gols em quatro finalizações a gol nesta temporada.

“Isso é eficiência! Mas tudo depende da posição que jogo. Se continuar mais perto do gol vou ter essas oportunidades. Sou um jogador versátil que pode jogar em diferentes posições dependendo da necessidade da equipe. Mas essa é uma boa estatística para mim”, celebrou o alemão.

“Espero continuar tendo a oportunidade de fazer gols. Há muita qualidade no ataque em Paris, mas sempre consigo jogar as partidas e mostrar minha qualidade. Estou satisfeito com o papel que desempenho”, finalizou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *