Somente uma pessoa não era ligada ao mundo do crime, diz comandante do 4º BPM sobre os casos de homicídios em Picos neste ano

Em entrevista coletiva com o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, Major Felipe, ele falou sobre os sete homicídios que foram registrados somente este ano no município.

De acordo com comandante do 4º BPM de Picos, Major Felipe, dos sete homicídios registrados em Picos, apenas um não tinha ligação com o crime, que foi o caso do técnico de enfermagem, Edgar da Silva Santos, 49 anos, que foi assassinado por um paciente dentro de uma clínica no bairro Ipueiras, no mês de abril.

“Desses crimes, notadamente somente uma pessoa não era ligada a crimes, a uma vida pregressa ligada a criminalidade, nós vemos como totalmente ligado a isso”, disse.

Major Felipe ainda destaca que quando o indivíduo tem ligação com o mundo do crime ele está mais vulnerável a sofrer as consequências impostas pela criminalidade.

“Então, a partir do momento que um indivíduo está ligado a uma facção, ele está ligado a um viés de criminalidade, de tráfico de drogas, de envolvimento com rixas ou tudo aquilo que atrela o passado dele a um passado de crime, eu tenho esse indivíduo numa situação de vulnerabilidade muito maior, e o crime muitas vezes cobra, e ele cobra dentro da linguagem dele, que é a linguagem do crime”, explica.

Onda de assaltos

Major Felipe ainda aproveitou o momento para falar sobre a onda de assaltos que está acontecendo em Picos. Segundo ele, os últimos assaltos que aconteceram na cidade é questão de tempo para prender os responsáveis.

“Com relação aos assaltos, todo mundo sabe que quem volta a praticar assalto é quem já tem uma vida pregressa ligada ao crime, ligada a essa modalidade de atuação na vida criminosa. Por conta da pandemia, nós temos tido uma política de ação do judiciário no sentido de está liberando os indivíduos, com a pressão da liberação daqueles detentos que representam a menor periculosidade dentro do sistema penal. Isso incide juntamente nesses praticantes de crime contra o patrimônio, como roubo, furto e etc. Esses períodos de assaltos em Picos eles não são períodos perenes, mas sim sazonais. Sobre os últimos assaltos é só questão de tempo para a gente chegar e pegar os indivíduos”, finalizou o comandante do 4º BPM.

 

Por | JP on line

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *