PF faz operação contra tráfico internacional de drogas e cumpre mandados em Teresina

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta segunda (09), duas operações com o objetivo de combater o tráfico internacional de drogas feito por terra e mar e lavagem de dinheiro. A Operação Pojuca no Pará e outra em Pernambuco denominada Operação Símios. Em Teresina, foram cumpridos um mandado de busca e apreensão e um de prisão.

A organização criminosa tem como especialidade o transporte e armazenamento de cocaína em grandes quantidades em território nacional, a fim de ocultá-la em cargas exportadas via portos brasileiros para a Europa em contêineres.

Pela operação Pojuca, estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva.  As ordens de busca e prisão preventiva foram expedidas pela 3ª Vara Federal Criminal do Pará.

As investigações começaram quando Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, no dia 11/10/2019, ao realizar fiscalização de rotina, identificaram cerca de 1,436 mil quilos de cocaína envolto de argamassa (método utilizado para ocultar a substância entorpecente do SCANNER), no Porto de Vila do Conde, em Barcarena/PA, no interior de um container.

Através de investigações chegou-se ao nome de criminosos, que se utilizaram de identidades falsas e empresas de fachada para operacionalizar o transporte de cargas ilícitas de drogas com destino ao exterior.

Já na ação de Pernambuco, a droga estava escondida em uma carga de banana no Porto de Suape, no Grande Recife em junho do ano passado. Os mais de 800 quilos de cocaína seguiria para a Bélgica.

A operação Símios cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão nas capitais de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí, São Paulo e Mato Grosso, bem como no interior de Pernambuco e Ceará (Torre/PE, Boa Viagem/PE, Piedade/PE, Jaboatão/PE, Bonito/PE, Petrolina/PE, São Paulo/SP, Sumaré/SP, Cuiabá/MT, Natal/RN, Parnamirim/RN, Juazeiro do Norte/CE, Barbalha/CE, Fortaleza/CE, Teresina/PI).

Foram mobilizados 80 policiais federais com o objetivo de cumprir 4 mandados de prisão preventiva e 18 mandados de busca e apreensão. Em Pernambuco foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão.

As investigações, até o momento, revelam que o grupo criminoso é formado por integrantes espalhados por Estados do Nordeste, mas com atuação também no Norte do país. As lideranças da organização têm raízes no roubo e furto de cargas e, por isso, já foram alvos da Operação Piratas do Sertão, deflagrada pela Polícia Federal em 2010 nos Estados de Rio Grande do Norte e Paraíba. Além disso, foram detectados laços criminosos desse grupo com lavadores de dinheiro na Região Sudeste e Centro-Oeste.

Ao todo, 15 pessoas já foram indiciadas pelos crimes dos Arts. 33, caput, e 36 da Lei nº 11.343/06 (tráfico e financiamento ao tráfico de drogas); art. 2º da Lei nº 12.850/13 (organização criminosa); e art. 1º da Lei nº 9.613/98 (lavagem de dinheiro). As penas podem variar de 3  a 20  anos de reclusão, mas, considerado o concurso de crimes, podem chegar ao limite máximo de 30 anos de cumprimento da pena.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas e falsidade documental, com penas que podem alcançar 23 anos de reclusão, além de multa.

O preso de Teresina será encaminhado para o Sistema Penitenciário Piauiense e responderá a processo perante a Justiça Federal.

Caroline Oliveira/Cidade Verde
Com informações da PF

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *