Teresina: acusado de estuprar e matar Janaína Bezerra, Thiago Mayson, começa a ser julgado hoje (17)

Janaína Bezerra morreu em janeiro deste ano, após ter sido violentada sexualmente e ter o pescoço quebrado.

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) marcou para esta quinta-feira (17) o julgamento do réu Thiago Mayson da Silva Barbosa, de 28 anos, acusado de estuprar e assassinar a estudante de Jornalismo Janaína Bezerra da Silva (22). A sessão do Tribunal Popular do Júri está marcada para às 8h30, no Fórum Cível e Criminal Des. Joaquim de Sousa Neto, bairro Cabral, Centro/Norte da capital.

Em janeiro deste ano, Thiago Mayson foi preso tentando desovar o corpo da jovem estudante na manhã do dia 29 de janeiro. Segundo as investigações, ambos estavam juntos numa festa nas dependências da Universidade Federal do Piauí (UFPI), ocorrida na noite do sábado, 28 de janeiro. Seguranças perceberam a ação do réu e interceptaram o acusado. Janaína Bezerra morreu após ter sido violentada sexualmente e ter o pescoço quebrado.

Thiago Mayson teve a prisão convertida em preventiva e, desde então, ele segue detido. O processo corre em segredo de justiça como é praxe em casos de crimes contra a honra e crimes sexuais. O réu será julgado por quatro crimes, dentre eles: homicídio, vilipêndio de cadáver por manter relação sexual com a vítima já sem vida, estupro de vulnerável e fraude processual.

A denúncia contra Thiago Barbosa foi oferecida pelo promotor Benigno Filho, titular da 13ª Promotoria de Justiça de Teresina. O réu é acusado de homicídio com duas qualificadoras (feminicídio e emprego de meio cruel), vilipêndio de cadáver por manter relação sexual com a vítima já sem vida, estupro de vulnerável e fraude processual.

Defesa pede adiamento

A defesa de Thiago Mayson da Silva Barbosa, acusado de matar e estuprar a jovem Janaína Bezerra, pediu o adiamento do julgamento do caso, previsto para ocorrer nesta quinta (17).

O Tribunal de Justiça do Piauí ainda não se manifestou sobre o pedido e se irá acatar a solicitação da defesa do réu. Uma das representantes dos assistentes de acusação, Florence Rosa, disse que adiamento do caso seria uma manobra da defesa para tentar adiar o andamento do processo.

Nós estamos aqui para dizer que para vocês que essa informação não procede. Houve de fato um pedido da defesa que sequer foi apreciado pelo magistrado. E nós, representantes da acusação, justamente evitando que haja esse adiamento ou que prejudique o julgamento, nós já peticionamos ao magistrado para que os documentos que nós juntamos, que não se referem a provas novas, sejam desentranhados e o julgamento ocorra normalmente

Florence RosaRepresentante da acusação
Grupo se manifesta

O grupo Frente de Mulheres contra o Feminicídio, desde o dia 6 de agosto, se organiza para realizar uma mobilização no dia do julgamento dos casos de Janaína Bezerra (Teresina) e Renata Costa (Floriano). Ambos ocorrem no dia 17 de agosto.

Informações dão conta de que o movimento irá se mobilizar para manifestar mais segurança e outras pautas no dia dos referidos julgamentos. Desde o início do mês, o grupo divulga em diversos meios de comunicação faixas, cards, blusas e outros materiais repudiando os crimes contra a população feminina.

Caso Janaína Bezerra - (Reprodução/Redes Sociais)Reprodução/Redes Sociais

Caso Janaína Bezerra

Laudo cadavérico

Em entrevista ao Portal O Dia, o delegado Francisco Costa, o Barêtta, informou que o laudo apontou que Janaína Bezerra da Silva, de 22 anos, morreu após ter sido violentada sexualmente e ter o pescoço quebrado. Segundo ele, após este laudo, a natureza do crime foi definida, sendo classificado como homicídio qualificado e estupro.

Agora, definido a natureza do crime, o acusado vai responder por este homicídio qualificado e estupro. A perícia esteve no dia 29 de janeiro lá mesmo na cena do crime e levantou os detalhes. Os rastros de sangue ajudaram a revelar a dinâmica do crime

Francisco Costa, o BarêttaCoordenador do DHPP

Ainda segundo Barêtta, tanto Janaína quanto o acusado do crime passaram a noite dentro da sala do Departamento de Matemática, e por volta das 9h da manhã ele foi visto por seguranças da universidade saindo da sala e com ela no braço desacordada, procurando socorrê-la.

“Foram os seguranças da universidade que ligaram para o SAMU para levarem ela para o atendimento médico” detalhou.


Com edição de Nathalia Amaral/Portal O Dia

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais